Por que a gratidão é o segredo das pessoas felizes.

Não existe a menor dúvida: ser feliz é o desejo de todo ser humano. Pessoas felizes permitem ser felizes. Mas qual é o segredo das pessoas felizes?? Neste artigo eu falo sobre a ligação entre a gratidão e a felicidade, como podemos praticar a gratidão diariamente e o que acontece no cérebro quando temos pensamentos de gratidão.

A relação entre Gratidão e Felicidade

A gratidão pode te fazer feliz. Ser grato é uma capacidade que, uma vez adquirida, transforma seu olhar sobre o mundo, sobre a vida, sobre as pessoas e sobre cada acontecimento. Nossos pensamentos são coisas e a nossa capacidade de manter um pensamento positivo, nos leva gradativamente a uma mudança de paradigmas e essa mudança pode ser uma das responsáveis pela nossa felicidade.

Dietrich Bonhoefeer disse que “é somente através da gratidão que a vida se torna rica.” Quando o cérebro entende que algo bom aconteceu, promove a sensação de conquista, estimula o afeto, traz tranquilidade. Além da sensação de bem-estar, exercitar a gratidão ajuda também a dissolver nossos medos, angústias, raiva, ou seja, fica muito mais fácil controlarmos estados emocionais negativos.

gratidão escrito a mão

Fonte: Amanda Mol

O caminho mais fácil e imediato para a felicidade é a gratidão

O monge beneditino David Steindl-Rast vem há anos divulgando uma mensagem de gratidão. Ele ousa dar uma receita: o caminho mais fácil e imediato para a felicidade é… a gratidão. É uma mensagem simples e poderosa – e a neurociência assina embaixo. David nos lembra o que é dar graças: é parar por um instante para olhar ao redor e reconhecer as oportunidades que temos, e lembrar que, mesmo se algo dá errado, a vida nos dá a seguir a oportunidade de tentar de novo. Na pior das hipóteses, podemos ser gratos só por essa oportunidade de seguir adiante.

Afinal, o que é gratidão? Ser grato significa lembrar-se de que ainda há muito bem em sua vida. Se você puder, em seu pior momento possível, encontrar alguém ou algo pelo qual ser grato, então, já terá conseguido lutar contra a sua mágoa, contra a sua dor. Contra a coisa que tentou derrotá-lo.

A vida, como todos sabemos, pode ter muitos momentos de desespero. Momentos no qual você perde oportunidades. Você perde trabalhos que ama. Você perde o amor. Você perde a sua saúde. Você se perde. Consequentemente você fica insatisfeito, é normal! Neste mar sem fim de perdas, é importante buscar oportunidades e esperança.

Mas cuidado para não depositar toda a sua esperança em algo externo, uma pessoa, alguém amável e gentil – um pai, um parceiro, um irmão, um amigo que possa te tirar dessa situação ruim. Talvez uma maravilhosa longa viagem que você sempre quis fazer.  Talvez um novo trabalho ou um novo relacionamento afetivo.

Seja o que for, lembre-se a mudança depende de você. Você tem a chave para a mudança positiva. Se você programar seu cérebro para pensar nas coisas bonitas que o mantém, então, qualquer tipo de negatividade, não importa o quão grande, será mais tranquila de derrotar. Você tem a chance de ser grato por ter uma oportunidade, algo que faça você se sentir vivo e feliz. Porque a gratidão é poderosa. Ela inspira empatia, bondade, esperança. E, acima de tudo, inspira-lhe iniciar uma jornada de evolução.

Como podemos praticar a gratidão diariamente

Parar para olhar ao redor e agradecer pelas coisas boas da vida é, portanto, oferecer ao cérebro uma oportunidade de lembrar de tudo o que tem dado certo e ficar genuinamente feliz. Assim, a gratidão é, por definição, um sentimento de felicidade – mas um que podemos escolher ter a cada instante. De acordo com o autor, basta apenas “fazer uma pausa, dar graças (à vida, aos céus, a Deus, ao acaso, às pessoas boas que você conhece, não importa) – e instantaneamente seu cérebro encontrará um momento de felicidade”.

Segundo ele a gratidão é quando vivenciamos uma coisa que é valiosa para nós. Algo nos é dado, que é valioso para nós. E é realmente dado. Essas duas coisas têm que vir juntas. Tem que ser algo valioso, e um verdadeiro presente. Você não o comprou. Você não fez por merecer. Você não trocou por nada. Você não trabalhou por isso. Só foi dado a você. E quando essas coisas acontecem ao mesmo tempo, a gratidão espontaneamente cresce em meu coração, a felicidade espontaneamente cresce em meu coração. É assim que a gratidão acontece.

O segredo disso tudo é que podemos ser pessoas que vivem em gratidão! E como podemos viver em gratidão? Vivenciando, estando ciente de que cada momento é um presente. Quando somos mais gratos, somos mais felizes, tudo em nossa vida se encaixa e funciona.

O que acontece no cérebro quando temos pensamentos de gratidão

Quando temos pensamentos de gratidão, ativamos o “sistema de recompensa” do nosso cérebro. Esse sistema é a base neurológica da nossa satisfação e autoestima, e é responsável pela sensação de bem-estar e prazer do nosso corpo.

Sentir-se abençoado pela vida traz felicidade duradoura!

Como isso acontece? Quando o cérebro entende que algo bom aconteceu, que algo deu certo, que fomos bem-sucedidos ou que estamos nos sentindo gratos por algo, ele libera uma substância chamada dopamina, um neurotransmissor responsável – entre outras coisas – pela sensação de prazer e de recompensa.

Ao mesmo tempo em que promove a sensação de conquista, a dopamina nos motiva a agir novamente em direção a outras metas.  Além disso, o cérebro libera o hormônio da ocitocina, conhecido como o hormônio do amor – que estimula o afeto, traz tranquilidade, reduz a ansiedade, medo e fobias.

Além da sensação de bem-estar, exercitar a gratidão ajuda também a dissolver nossos medos, angústias, raiva, ou seja, fica muito mais fácil controlarmos estados emocionais negativos. Quanto mais utilizamos esse sistema, mais o reforçamos. E é exatamente por isso que pessoas que exercitam a gratidão apresentam níveis mais elevados de emoções positivas, de satisfação com a vida, de vitalidade e otimismo. Se quiser saber mais eu fiz um artigo sobre as 5 provas que a gratidão é poderosa.

Quem exercita a gratidão aprende a lidar com os sentimentos ou aspectos negativos da vida, justamente porque amplia os estados associados a sentimentos agradáveis. Já dizia Martin Seligman

“Não é a felicidade que nos torna gratos, mas a gratidão que nos torna felizes”

Artigo escrito por Roberta Sanzi, psicóloga e coach.

Inscreva-se grátis no Drops de Gratidão e receba 8 áudios de inspiração diária à prática da gratidão clicando aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *